Home » » Oração a Nossa Senhora do Trabalho

Oração a Nossa Senhora do Trabalho




Oração a Nossa Senhora do Trabalho





A história de Nossa Senhora do Trabalho



A primeira festa em honra à Nossa Senhora do Trabalho foi realizada no dia 1º de maio de 1901, na Itália. A imagem da mãe abençoando um agricultor e um carpinteiro foi idealizada por São Luís Guanella, fundador da Congregação das Filhas de Santa Maria da Providência e dos Servos da Caridade e principal propagador da devoção a Nossa Senhora do Trabalho.


 

Breve história de São Luís Guanella



São Luís Guanella nasceu em 19 de dezembro de 1842, na aldeia alpina de Fraciscio di Campodolcino no norte da Itália, foi o nono dos treze filhos de uma família montanhesa dotada de sólidos princípios cristãos.

Em um ambiente de ressentimento e raiva, marcado pelas profanações de igrejas realizadas em Como pelos seguidores de Garibaldi, Luís foi ordenado presbítero, em 26 de maio de 1866, por Dom Bernardino Frascolla, Bispo de Foggia.

Nomeado pároco de Savogno, valeu-se de seu diploma de mestre para ali abrir uma escola, que logo se encheu de alunos. Dedicou-se, então, com grande entusiasmo ao apostolado com os mais pobres durante oito anos. Dava formação religiosa a pessoas de todas as idades, convidando-as a se unirem ao Santo Padre e alertando-as a respeito das novas doutrinas da época, hostis à Igreja. Por isso e, sobretudo, pela publicação de um livreto intitulado Saggio di ammonimenti, contendo tais ensinamentos, acabou sendo fichado pela autoridade civil como “elemento perigoso”. Sua escola foi fechada e ele viu-se forçado a sair da diocese.

Atraído pela pessoa de São João Bosco, optou por se dirigir a Turim. Ali passou três anos (1875-1878) em “aprendizagem”, como diria depois, seguindo os passos do fundador dos salesianos no caminho da santidade e colaborando com sua obra pedagógica em favor da juventude. Nesta mesma ocasião, conheceu a obra caritativa de São José de Cottolengo, a qual também deixou profundas impressões em sua alma.

Convocado por seu Bispo, regressou à Diocese de Como.

Na paróquia de Traona, para onde foi enviado em 1878, com a missão de ajudar o pároco enfermo, tentou transformar um antigo convento em escola para jovens pobres aspirantes ao sacerdócio, no estilo salesiano. Entretanto, era ainda considerado um “padre sob suspeita” e não conseguiu a necessária autorização do poder civil.

O Bispo transferiu-o, em 1881, para Olmo, paróquia confinada entre altas montanhas, onde talvez pudesse ficar livre da desconfiança de exercer “perigosas influências” contra o governo. Ali, sentia-se exilado e abandonado por Deus, vendo impossível a realização de seu chamado.

Poucos meses depois, recebeu ordem de ir para Pianello, onde haveriam de cessar essas provações. Encontrou ali um orfanato e um asilo fundados por seu predecessor recém falecido, o padre Carlos Coppini, postos sob os cuidados de algumas jovens aspirantes à vida religiosa. Foi a partir deste empreendimento que se originou, em 06 de abril de 1886, sua primeira fundação, a Congregação das Filhas de Santa Maria da Providência, contando com a valiosa colaboração da Madre Marcelina Bosatta e de sua irmã, a Beata Clara Bosatta.

Sempre dócil à vontade divina, dizia Dom Guanella: “O segredo da perfeição é fazer a vontade de Deus”. Abriu por fim, em Como, a primeira Casa da Divina Providência – mesmo nome utilizado por São José de Cottolengo -, com o objetivo de atender os pobres e necessitados. A instituição começou a crescer e não faltaram generosos benfeitores nem almas dispostas a se dedicarem àquela obra de caridade.

Numa viagem a Turim, pediu orientação a Dom Bosco sobre seu desejo de fundar também um instituto masculino. Este lhe mostrou a conveniência de tal empreendimento e nasceu, assim, sob as bênçãos do Arcebispo de Milão, Beato André Carlos Ferrari – que até 1874 fora Bispo de Como – a Congregação dos Padres e Irmãos Servos da Caridade.

Erigida a obra canonicamente, com a colaboração dos padres Aurélio Bacciarini e Leonardo Mazzucchi, no dia 24 de março de 1908, chegou o momento tão longamente aguardado: Dom Guanella e um pequeno grupo de 11 coirmãos emitiram diante do sacrário os votos perpétuos de pobreza, castidade e obediência.

Fundou a Pia União do Transito de São José para os agonizantes em de fevereiro de 1914 em Roma.

Coroando uma vida santa, essa boa morte chegou também para Dom Guanella, em 24 de outubro de 1915, aos 73 anos de idade. Possa sua elevação à honra dos altares desvelar ao mundo de hoje, tão confiante em si mesmo, o segredo de sua santidade como modelo a ser seguido: abandonar-se nas mãos da Providência Divina, certo de que, por mais que os homens atuem, “è Dio che fa”!

Beatificação: 15 de outubro de 1964 – Roma, pelo Papa Paulo VI durante o Concílio Vaticano II, pela cura milagrosa da jovem de 12 anos Maria Uri e da Senhora de 45 anos Teresa Pighin, ambas da Itália.

Foi canonizado em 23 de outubro de 2011. Roma, pelo Papa Bento XVI, pela cura milagrosa do jovem de 21 anos William Glisson, na Filadélfia – EUA , no dia 19 de março de 2002.

Seu dia é comemorado em 16 de novembro.



Carisma Guanelliano:


“Revelar ao mundo o amor Providente e Misericordioso de Deus Pai, num clima de família, promovendo de forma integral a pessoa, particularmente as mais desprovidas, aplicando a pedagogia do amor. Em tudo e com todos o amor”.



Oração a São Luís Guanella

Senhor Jesus, tu vieste sobre a terra para oferecer a todos o amor do Pai e para ser sustento e conforto aos pequeninos e sofredores. Agradecemos-te por ter nos dado o teu servo fiel, São Luís Guanella, como sinal do grande amor de Deus.

Faz com que o exemplo da sua vida possa resplandecer em todo o mundo para a glória de Deus Pai e para o auxílio do povo cristão.

Pela sua intercessão, concede-nos a graça que neste momento te pedimos… e faz com que possamos imitar suas virtudes:

A ardente piedade para com a Eucaristia, a confiança serena na providência, a caridade terna para com os mais pobres, a paixão pastoral pelo teu povo, a fim de que, junto com ele, possamos receber o prêmio da alegria que preparaste para nós na casa do Pai.

Amém!


NOVENA EM LOUVOR A NOSSA SENHORA DO TRABALHO

Oração inicial para todos os dias da novena


Ó Mãe do Trabalho! Prostrado aos vossos pés proclamo a grandeza de Deus, bendizendo-o pelas maravilhas realizadas em vossa vida e também na minha, graças a vossa ditosa intercessão. Que consolo estar convosco! Que felicidade estar com a Mãe do meu Senhor! Encontrando-vos, encontro vosso Filho e a própria salvação oferecida no altar da cruz. Amando-vos, amarei também a Jesus. E será a maior felicidade aqui na terra.

Paraíso! Paraíso! Costumava repetir vosso servo e devoto, Dom Guanella. Um anseio que se transformou em prece! Uma meta que também preciso alcançar, juntamente com todos os meus irmãos e irmãs. Mas ainda estou distante. Há muito caminho a percorrer.

Sei que não posso parar. Por isso, imitando os trabalhadores, ajoelho-me a vossos pés, elevo confiante minhas mãos. Vosso olhar me contempla com ternura e vossa mão protetora se estende sobre mim, amparando-me protegendo-me.

Peço-vos que os céus se abram em bênçãos, a fim de conseguir as graças necessárias para as minhas necessidades, aquelas da Igreja, concedendo-lhes vocações sacerdotais, religiosas e do mundo todo. Olhai, particularmente, pelos desempregados, pelos doentes e pelos esquecidos pela sociedade.

Que esta novena me proporcione grande consolo, coragem e muita dedicação para seguir o caminho que o vosso próprio Filho, trabalhador, percorreu entre tantos trabalhadores.

Que o meu coração se volte mais par a Deus. Que saiba amá-lo sobre todas as coisas e, através desse amor, também meus irmãos, segundo o mandamento de Jesus: amai-vos uns aos outros como eu vos amei (Jo 13, 34).

Aceitai, ó Mãe do Trabalho, meu afeto filial que expresso beijando com reverência vosso manto, todo amor, todo ternura.

Assim seja!



1º dia: Maria, Mãe toda de Deus

No início desta novena em vossa honra, Maria, meu coração volta-se para Deus. Que alegria poder ficar na presença do Altíssimo. Quão valioso é estar no Coração de Jesus, qual abelha que penetra na corola da flor. Ali encontra o que mais busca, o néctar, e fica feliz. Impregna-se dele e retorna à colmeia para transformá-lo em mel gostosíssimo.

Maria, sois toda de Deus. Foste escolhida para a missão mais importante da face da terra: gerar, por obra do Espírito Santo, o Unigênito possibilitando a presença de Deus entre nós para sempre.

Em vós não existe pecado. Foste preservada de toda culpa em precisão dos méritos de vosso Filho. Com sua Paixão e Morte, também fui resgatado do poder das trevas para ser filho da luz.

Todavia, nem sempre consigo imitar-vos, Maria. Viver santamente. Minhas culpas, verdadeiras chagas, impedem que Cristo seja gerado em mim.

Por isso vos suplico: ajudai-me a detestar o pecado. Que eu possa ser uma nova criatura, liberta de todo e qualquer mal. Sei que posso recorrer a vós na certeza de conseguir esta graça. Vinde em meu auxílio. Amparai-me, socorrei-me. Que eu possa ser morada de Deus, templo do Espírito Santo, assim como vós o foste.

Nossa Senhora do Trabalho, rogai por nós.



2º dia: O sim de Maria a Deus.


Quando da visita do Arcanjo Gabriel, proferistes, ó Virgem Santíssima, estas palavras: Eis aqui a escrava do Senhor (Lc 1,38)

Era o vosso SIM a Deus. Um SIM consciente, desprendido, todo amor. Assim, à desobediência do início da criação sucedia-se a obediência da nova Eva. Uma obediência co-redentora. Unida ao vosso Filho, ajudastes a salvar a humanidade, sei muito bem que isso não foi fácil. Uma espada de dor atravessou o vosso coração. Mesmo assim, sempre mantivestes vossa fidelidade. Jamais dissestes não aos desígnios de Deus.

Hoje, ó Mãe do Trabalho, suplico vossa ajuda a fim de renovar minha vida. Quantas vezes fui infiel a Deus. Cometi muitos pecados e continuo pecando. Sinto, com pesar, que tudo deveria ser diferente. Mas existe uma força contrária que me impede de corresponder à graça de Deus

Diante disso, espero contar com vosso auxílio valioso. Que o espírito das trevas se afaste de mim com seus anjos rebeldes. Ajudai-me, Maria, a ser fiel como vós fostes fiel, sempre dizendo sim a Deus, ao seu plano de amor.

Assim seja!



3º dia: Maria, mulher de fé!

Grande e admirável, ó Virgem Maria, foi vossa fé! Isabel, ao perceber isso, declarou-vos feliz, na certeza de que cumpririam todas as coisas que foram ditas da parte do Senhor.

Peço-vos, hoje, Nossa Senhora do Trabalho, que me ajudeis a ter mais fé. Que eu possa imitar-vos, percorrendo o mesmo caminho sem jamais desistir. Sei que devo passar por muitas provações para chegar à vida eterna. Mas não estou sozinho. Vós me acompanhais, qual Mãe solicita, dando-me coragem e esperança em meio a tantas adversidades.

Que eu possa ter uma fé viva. Uma fé que transforme em confiança na Divida Providência, à imitação do bem-aventurado Luis Guanella; ele jamais desistiu em meio às dificuldades. Soube preservar até o fim.

Ajudai-me a seguir esse exemplo. Conduzi-me pela mão. Que toda montanha intransponível seja lançada no mar e abra-se um caminho novo, repleto de luz, paz e alegria.

Confio em vós. Nossa Senhora do Trabalho. Concedei-me a graça que vos suplico.

Assim seja!



4º dia: Dinamismo da esperança.

Nossa Senhora do Trabalho, amparado por vós elevo aos céus minhas mãos em prece, unidas às de todos os meus irmãos e irmãs. Quero ser como aquele trabalhador que fixa em vós o seu olhar cheio de confiança.

Ó Mãe querida! É um olhar, de veneração, e de súplica que ele vos dirige. Está abrindo o coração para o seu Deus e Senhor. Procura imitar o que sempre fizestes na humilde casa de Nazaré, aberta ao infinito.

E seu olhar, ó Maria, encontra-se com o vosso olhar. Que momento inefável, indivisível. É a mãe que contempla o filho e o filho contempla a Mãe. Vosso olhar é o mesmo que volveste par ao vosso Filho Jesus, o Unigênito do Pai.

Peço-vos, hoje, ó Mãe do Trabalho, que esse vosso olhar encha meu coração de paz, de alegria e esperança. Concedei-me novo alento para imitar Jesus, mesmo que exija renúncias e sacrifícios.

Concedei-me a graça de uma esperança que se renova a cada dia para seguir em frente no caminho, agora, pela fé e não pela visão. Ainda não foi plenamente revelado o que seremos após nossa jornada terrena. Mas um dia poderei contemplar-vos face a face, pois a esperança não engana. Tudo é certeza. Sois, para mim, um braço entre o céu e a terra, braço esse que se volta para o mundo em sinal de benção por todo o sempre.

Nossa Senhora do Trabalho, rogai por nós!



5º dia: O Amor de Maria


Ó Mãe inefável, quanto amor em vossa vida! Amor a Deus e aos irmãos! Por isso, vos peço: ensinai-me a amar. Mas amar de verdade, sem excluir ninguém, que meu coração esteja repleto da divina caridade e possa transbordar de amor com a ajuda do Espírito Santo.

Sei que tudo se fundamenta no amor. O bem-aventurado Luis Guanella no-lo ensina pela palavra e pelo exemplo.

Por isso vos imploro, ó Mãe do Trabalho! Que eu seja mais amável com as pessoas. Que não julgue os outros. Que saiba perdoar e enxergar vosso Filho Jesus em cada irmão, particularmente no mais humilde, aquele que ninguém quer.

Que venha, qual fogo santo, o incêndio da divina caridade, transformando meu coração e o coração do mundo.

O que seria de mim sem o vosso amor? Nada teria sentido. Não passaria de um bronze que retine. Um dia, a fé e a esperança vão cessar. Mas a caridade, essência do próprio Deus, permanecerá para sempre.

Peço-vos, Nossa Senhora do Trabalho, que eu possa ter um coração manso e humilde, à semelhança do vosso Filho Jesus. Que eu tenha paciência e saiba oferecer meu trabalho com muito amor, labutando como vós labutastes para ganhar o pão de cada dia.

Que meu trabalho se torne santificador para dar continuidade à obra da criação e para que haja um mundo mais justo e equilibrado, onde todos possam ter vida e vida em abundância. Envolvei-me, Nossa Senhora do Trabalho, com vosso manto de ternura, amor e paz.

Assim seja!



6º dia :Maria, nosso modelo


Querida Mãe do céu, Nossa Senhora do Trabalho, vossa grandeza é sem igual. Sois a filha predileta do Pai, a Mãe de Jesus e a Esposa do Espírito Santo. Sois toda envolvida com a auréola de luz da Trindade Santa. Sois a bendita entre todas as mulheres. Jamais, na face da terra haverá criatura semelhante a vós.

Mesmo assim, sois muito achegada a nós. Fazei parte do único povo de Deus desejosos de inundar de luz esse mundo.

E onde se encontra essa grandeza? Encontra-se, primeiramente, na vossa humildade. O Senhor olhou para a humildade de sua serva. Sois modelo. Igualmente, pela vossa fé, que, dia após dia, se fez oração e silêncio.

Quantas grandezas em vosso amor a Deus, ao seu Unigênito, que gerastes em vosso seio virginal, e ao Espírito Santo, do qual sois Esposa.

Um amor que se transformou em compaixão a fim de gerar o mesmo Jesus no coração de todos os seus seguidores.

Quantas lições a serem aprendidas junto a vós. Por isso, vos suplico: Ajudai-me a ter a mesma humildade e perseverança, sem jamais desistir em meio às dificuldades. Mesmo que um exército se poste a minha frente, nada temerei, pois vossas mãos protetora se estendem sobre mim, carinhosamente, para me socorrer com a força do próprio Deus e Senhor.

Valei-me, ó Mãe do Trabalho, para realizar uma grande obra de transformação na minha vida.

Que eu seja sempre um filho devoto e obediente como vós o fostes.

Assim seja!



7º dia: O silêncio de Maria

Contemplando as imagens que vos retratam, ó Virgem Maria, podemos enganar-nos. Elas deixam transparecer que tudo pode ter sido fácil em vossa vida. Mas a verdade é assim. Vossa fé foi colocada a duras provas. Os anjos que apareceram em Belém não mais retornaram. Tudo silenciou. A impressão podia, até mesmo, ser de um engano. Será que é verdade tudo o que aconteceu? Onde está o cumprimento das promessas? Os anos passavam e, praticamente, nada de extraordinário ocorria na vida de vosso Filho no tocante à salvação da humanidade, mesmo que crescesse em idade, sabedoria e graça diante de Deus e dos homens.

Foi justamente ali, no silencio de cada dia, que se manifestou vossa grandeza e perseverança.

Soubestes conviver segundo o plano de Deus, aguardando a revelação de seus desígnios, que nem sempre são os nossos. Com isso nos ensinastes que as grandes coisas, as coisas de Deus, acontecem através da simplicidade, até mesmo em instantes obscuros sem nenhuma lógica humana.

Ele assim o faz para que se manifeste a sua grandeza. A iniciativa lhe pertence. Não fostes vós quem me escolhestes, mas fui eu quem vos escolhi para que ide e produzi fruto e um fruto que permaneça. Somente a Deus pertencem a honra, a glória e o poder.

Sei que isso exige e exigirá muito de mim. Mas sei, também, que vós me acompanhais, qual Mãe solicita. Sei que sempre poderei recorrer a vossa valiosa proteção.

Assim conseguirei a coragem necessária para avançar no caminho estreito que conduz à vida, sem jamais desistir.

Tenho consciência de que nunca desamparais os filhos que a vós recorrem, concedendo-lhe copiosas graças e bênçãos de Deus, um Deus que me abraça ternamente, desejando-me sempre o melhor.

Amparai-me, Nossa Senhora do Trabalho, hoje e sempre.

Assim seja!



8º dia: Mãos de uma trabalhadora


Ó Virgem Santíssima! Como é bom invocar-vos envolvendo o mundo do trabalho! Tudo o que se faz e realiza no dia a dia. O Trabalho, quase sempre, é duro e difícil. Quantas gotas de suor derramadas para ganhar o pão de cada dia! Há, também, injustiças que agravam o sofrimento neste vale de lágrimas.

Por outro lado, há muitas pessoas sem trabalho, cuja vida fica truncada. Não conseguem desenvolver suas capacidades, seu potencial. Com isso, não há como colocar na mesa o próprio alimento. Não há como fugir à lei comum do trabalho, ele faz parte da vida de todos.

Vós, Maria, tivestes de trabalhar. Ganhastes o próprio sustento com o trabalho de cada dia. As mãos que se elevam aos céus para proclamar a grandeza de Deus, que embalavam o Menino Jesus, eram as mesmas que trabalhavam juntamente com as de São José.

Seguindo vosso exemplo, imploro-vos clemência em favor do meu trabalho. Que saiba vê-lo como um meio para obter a minha santificação, unindo os sofrimentos de cada jornada à Paixão do Divino Salvador. Ajudai-me a não me revoltar quando tudo se torna difícil, quando as portas se fecham, parecendo não haver mais esperança.

Fortalecei-me nesses momentos. Estou certo de que estais comigo, estendendo vossa mão, trabalhadora como a minha. Que uma nova aurora desponte no horizonte da minha vida, particularmente no mundo do trabalho, que todos possam ter Pão e Paraíso.

Caso não tiver emprego, concedei a graça do emprego a mim a e a todos os desempregados, para tranquilidade de todas as famílias.

Nossa Senhora do Trabalho, rogai por nós!



9º dia: Maria intercessora entre o céu e a terra


Imensamente feliz, ó Mãe do Trabalho, encerro, hoje, esta novena. Desejo expressar todo meu carinho e gratidão. Foi bom estamos juntos no decorrer destes dias. Foram dias de graças copiosas. Meu coração esta em paz e grande alegria invade meu ser.

Os céus se abriram em bênçãos e dádivas infinitas chegaram ao meu coração, sois verdadeiramente poderosa intercessora junto a vosso Filho Jesus. Sempre atenta às necessidade de cada um, continuais, como em Caná, providenciando o vinho da nova aliança, da conversão, da caridade, do amor em relação cada um de nós.

Muito obrigado, querida Mãe, por tamanho carinho, por toda essa solicitude. Agraciado por tanto amor, quero ser fiel, perseverante, sincero em meu modo de pensar e de agora. Conto sempre com vossa proteção. Isso me anima e encoraja. Sei que não sou merecedor, mas, à imitação de vosso Filho estais sempre pronta a me perdoar, em volver e confortar. Sabeis o quanto necessito dessa alegria.

O mundo é inseguro e passageiro. Sozinho não tenho estrutura para viver. Vossa intercessão se faz necessária, sempre, sempre.

Mãe Santíssima, ouvi meu apelo. Quero ser um filho obediente, orante e caridoso, fiel ao vosso exemplo de vida. Peço-vos: deixai aberto vosso coração compassivo para que eu possa nele me abrigar. Assim, querida Mãe do Trabalho, poderei seguir com segurança no caminho da vida e um dia contemplar-vos face a face no céu, com o vosso amado Filho Jesus pelos séculos dos séculos. Amém.



Oração a Nossa Senhora do Trabalho

Ó Virgem Santíssima, Mãe de Cristo e nossa Mãe!

Ombro a ombro com Jesus, vosso Filho, conhecestes a fadiga do trabalho!Por isso, vos suplicamos: volvei vosso olhar de amor para a nossa labuta de cada dia em todos os campos da atividade humana.

Sobre este trabalho pedimos vossa bênção, ó Mãe!

Ajudai-nos a vivê-lo qual participação ativa à potência criadora e providente de Deus e um amoroso serviço prestado aos irmãos; com meio de expiação pelos nossos pecados, colaborando a nossa redenção e santificação, assim como de todo a humanidade.

Protegei, ó Mãe, nossas famílias. Iluminai-as e fortalecei-as na contínua realização do bem. Ouvi nossa oração e concedei-nos tudo o que suplicamos particularmente a força e a alegria de cumprirmos sempre a vontade de Deus Pai.

Nossa Senhora do Trabalho, rogai por nós!



Oração do Desempregado

Ó Mãe Amável, Nossa Senhora do Trabalho!

Prostrado aos vossos pés, suplico-vos, humildemente: olhai com bondade para este vosso servo desempregado. Minha situação é muito difícil. Não sei mais a quem recorrer. Tudo é escuridão ao meu redor.

Por isso, estou em busca de uma luz. Sei que posso encontrá-la batendo à porta do vosso coração. Quem recorre a vós não fica de mãos vazias, desprotegido, pois sinto que encontro segurança em vossas mãos, sob vosso olhar de ternura, e abrigado por vosso manto protetor!

Aceitai, portanto, o meu apelo, concedendo-me a graça de um emprego. Preciso trabalhar! Prometo-vos que meu coração estará sempre aberto àqueles que precisarem de minha ajuda.

Muito obrigado, ó Mãe do Divino Trabalho, por ouvirdes minha oração.

Amém.



Fontes:

http://www.arautos.org/artigo/30986/Dom-Luis-Guanella–O-Evangelho-como-historia-de-amor.html

http://diariogaucho.clicrbs.com.br/rs/dia-a-dia/noticia/2015/03/devotos-prestigiam-imagem-de-nossa-senhora-do-trabalho-na-redencao-4723809.html

http://paroquiasti.com.br/index.php?id=1005

http://stelamaria.blogspot.com.br/2011/10/novena-nossa-senhora-do-trabalho.html
Compartilhe :

0 comentários:

Postar um comentário

 
Copyright © 2015. Pater Noster
Blogger Templates